Canções para refletir #1

30/01/2015 2 comentários
(imagem: www)

Eu não sei se já existe algum quadro assim pela internet. Se já existe me falem quem criou que eu credito, se não existe  estou criando agora. Eu resolvi fazer uma série de posts assim quando estava checando o twitter. Sempre que vou dar uma olhadinha no twitter ligo minhas músicas no modo aleatório (e parece que o modo aleatório sempre adivinha meu humor e sempre toca músicas de acordo com ele)... Não consigo ficar no twitter sem ouvir música, mas enfim, não estou aqui pra falar disso... Como eu ia dizendo, coloquei a música pra tocar e de repente começou a tocar uma música de letra linda, não lembro qual, que me fez começar a refletir e decidi fazer posts assim, com músicas para refletir. Refletir sobre tudo : vida, aparência, relacionamentos, natureza, tudo!

A música de hoje é Try da Colbie Caillat. Acho essa música simplesmente lacradora. Ponto final. Escutem com atenção e assistam o clipe. A  tradução estará aí abaixo do vídeo :D


Tentar

Coloque sua maquiagem
Faça as unhas, deixei seu cabelo crescer
Corra mais um pouco
Mantenha-se esbelta para que gostem de você
Eles gostam de você?

Fique bem sexy
Não seja tímida, menina, mostre mais
É isso que você quer
Se enturmar, para que gostem de você
Você gosta de você?

Você não precisa se esforçar tanto
Você não tem que dar tudo
Você apenas tem que se levantar, levantar, levantar
Você não tem que mudar uma única coisa

Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar
Você não tem que tentar

Faça suas compras
No shopping, misture seus cartões de crédito
Você não tem que escolher
Compre tudo para que gostem de você
Será que eles gostam de você?

Espere um segundo
Por que você deveria se importar com o que pensam?
Quando você está sozinha
Sem ninguém, você gosta de você?
Você gosta de você?

Você não precisa se esforçar tanto
Você não tem que dar tudo
Você apenas tem que se levantar, levantar, levantar
Você não tem que mudar uma única coisa

Você não precisa se esforçar tanto
Você não tem que se desdobrar até quebrar
Você apenas tem que se levantar, levantar, levantar
Você não tem que mudar uma única coisa

Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar
Você não tem que tentar

Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar
Você não tem que tentar

Você não precisa se esforçar tanto
Você não tem que dar tudo
Você apenas tem que se levantar, levantar, levantar
Você não tem que mudar uma única coisa

Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar, tentar, tentar, tentar
Você não tem que tentar

Tire sua maquiagem
Deixe seu cabelo solto, respire profundamente
Olhe-se no espelho para si mesma
Você não gosta de você?
Porque eu gosto de você

(Letra com tradução : www )

Reflitam~

Beijos e até a próxima




Kon'nichiwa

29/01/2015 2 comentários

Olá queridos do Canto D! 


Sou a Paula Geek, a cosplayer que foi entrevistada há algum tempo atrás, lembram de mim? 



(Devem lembrar como Kitsune, pois é, troquei meu nome porque não uso esse em lugar nenhum e acho que não tem chances de pegar assim como Paula Geek hehe)


A dona do blog, Duda Ribas, me convidou para fazer o lado nerd/otaku do canto D e vou falar sobre cosplay (novidade), anime, músicas asiáticas e a cultura japonesa. De vez enquanto devo falar de super heróis, mas não sei se tenho tanto domínio por esse tema.
E agora que já me apresentei vamos começar o meu primeiro post falando do meu anime preferido: Nana.


Nana é o anime mais lindo que eu já vi. Por que é o mais lindo Paula? Porque ele é romântico? 


No! No! No! No! No! No! No! No! No!


 Eu o amo pelo simples fato de ser realista e me lembrar a minha vida em muitos aspectos e, para mim, o que torna um anime perfeito é quando ele consegue fazer você se conectar com ele, quando você se sente parte dele. 

Mas espera um pouco, anime não é só um desenho para crianças?


Então...

Existem muitos animes feitos para crianças sim, a maioria já até passou em TV aberta como Sakura Card Captors, Pokémon, Digimon, entre outros, mas existem muitos animes que conseguem ser tão interessantes quanto uma série de TV e Nana é um deles. 


Um pedaço da minha cena favorita, não tem nada a ver com o que estou falando mas eu achei no Google e precisei colocar, assim que vocês assistirem e eu espero que assistam vocês vão entender toda a emoção e lindeza dessa cena. Voltando...


Nana conta a história de duas garotas de vinte anos de idade que vão para Tokyo em busca de uma melhora de vida e o telespectador vai acompanhando o crescimento delas, os envolvimentos amorosos, os empregos, os encontros e desencontros, entre outras situações inesperadas e esperadas da vida, assim como é possível ver em F.R.I.E.N.D.S. e How I Met Your Mother (duas séries que amo, aliás), por isso acho Nana perfeito, porque ele não é perfeito (oops, deu lag aqui Paula). O anime não mostra um casal perfeito, ou o cara fofo dos sonhos da maioria das garotas, mostra o verdadeiro amor, que não depende de declarações fofas, de dizer "eu te amo" o tempo todo ou de sempre encher de presentes. Ele vai muito além, preza os laços de amizade e mostra os relacionamentos depois do momento fofo e mágico em que o namoro começa.

Quando comecei a assistir, muitas pessoas enjoaram de tanto que eu falei do anime, não contei a história, mas sempre que me perguntavam o que eu estava fazendo, eu dizia: "assistindo Nana *-*". Cheguei a ver o dia inteiro sem parar, porque não tem como parar de ver Nana, você anseia por mais o tempo todo, você precisa de mais! 


(Ui! Volte aqui meu amor por Nana, não vamos nos exaltar u.u ... 
Dramatizei legal agora, mas é mais ou menos isso).

Bom, com uma nota de 0 a 10, dou 10 para Nana, sem nem pensar duas vezes, mas se você é uma pessoa que curte animes com super poderes e coisas surreais, eu ainda recomendo Nana, porque eu sei que a partir do primeiro episódio, você vai querer saber mais, afinal, eu consegui ser fisgada por esse primeiro episódio lindo (mesmo depois de enrolar anos pra ver).

 Vai o link do primeiro episódio para você se apaixonar por Nana assim como eu e talvez um dia eu faça cosplay delas, quem sabe...

I'm Here Waiting For You 


Beijos e até a próxima quinta-feira.

Paula Geek 










Meu caderno organizador

13/01/2015 4 comentários
Em 2014 eu estava totalmente decidida a dar uma organizada na minha vida.(Mas como apenas decidi isso no fim do ano, fiz o caderno para usar em 2015 mesmo)  Não que ela fosse desorganizada, mas eu queria ter um maior controle sobre as coisas que eu queria comprar, que já havia comprado, com as coisas de escola e etc, então decidi pegar um caderno que eu havia usado muito pouco na escola, arrancar as folhas que haviam sido usadas e usar o caderno para anotar as coisas. Separei ele por categoria, porque afinal, se vou usá-lo para organizar as coisas, ele em si devia ser organizado não é mesmo? Tirei poucas fotos numa madrugada de insônia. 

A capa dele é assim, Na lateral colei alguns post its com as categorias que usei. 

~só notei que tava sem foco agora na hora de postar, desculpem por isso~

Esse é ele por dentro, cheio de adesivos que nunca usarei mas que também não darei para ninguém  rsrsrsrs (só eu que sou assim?)


Eu separei o caderno em :
- Finanças (onde anoto o que ganho e o que gasto)
- Escola (médias das notas, material, provas e trabalhos)
- Wishlists (listas com coisas para comprar ou fazer)
- Blog (post já postados e post para postar, assim como os vídeos do canal)
- Viagens (trip) (destinos para os quais quero ir e o que levar)
-100 coisas para fazer antes da vida eterna


Eu queria falar sobre essa última categoria em especial. Existe uma história por trás dela:

Eu estudava em um colégio salesiano e nos colégios salesianos nós fazemos uma acolhida antes da aula começar (lemos um texto reflexivo que tem em um livro de orações feito pela rede salesiana. Um por dia , e no fim fazemos uma oração) . Um dia depois da acolhida a professora, inspirada pelo texto -que eu não lembro o tema-, contou para a turma que ela tinha uma lista com 100 coisas que ela queria fazer antes de alcançar a vida eterna. Ela renova essa lista de x em x anos, vendo o que ela já realizou e mudando alguns desejos da lista, afinal de contas nós mudamos com o passar do tempo e assim então mudam também nossos desejos. Ela pegou um pedaço da aula para pensarmos no que a gente quer fazer e escrever a tal lista. Tudo o que pretendemos fazer da nossa vida. Eu fiz no caderno da matéria dela mesmo, e na hora de passar para o meu caderno organizador a lista já mudou um pouco. Em alguns meses já consegui realizar alguns itens da lista e desejos novos surgiram. Ainda não alcancei o número 100. Fiquei surpresa porque sempre achei que queria fazer mil e uma coisas antes de morrer e percebi que não é bem assim, e que podem ser coisas bem simples que posso fazer desde já.

Achei legal destacar isso porque agora que começamos um novo ano e estamos com nossas energias renovadas é bom colocar em um papel tudo o que queremos fazer durante nossa vida, para assim ter metas, objetivos...

Eu adorei a ideia. Acho que não me expressei muito bem mas deve dar para entender :D

Decidi fazer esse post mostrando o caderno para vocês se inspirarem e também darem uma organizada na vida de vocês. Parece ser complicado mas é uma coisa bem simples de se fazer e não dá tanto trabalho de manter, é só não ter preguiça como eu tenho.

Beijos e até a próxima~







Playlist : Ed Sheeran

11/01/2015 2 comentários

Eu tenho escutado muito, muito mesmo, o Ed... Não sei as músicas de cor nem nada, o que me incomoda porque eu fico querendo cantar e sai aquele trem enrolado de quem não sabe a letra? 
Na playlist que eu fiz eu coloquei as minhas músicas favoritas, mas eu escuto praticamente todas. As músicas dele são encantadoras, não tem uma que eu ouvi e falei "não gostei". Bem, até agora não. Vem conferir comigo essas músicas que tocam na minha cabeça o dia inteiro, as músicas que me viciaram. Tive a intimidade de colocar o nome da playlist de "Edinho", acho que de tanto ouvir o Luba falando assim, peguei a mania, :P ...



"Edinho" by Maria Eduarda R. on Grooveshark

Não foram felizes para sempre

09/01/2015 Nenhum comentário
"Outro dia, uma amiga veio aqui em casa, começamos a conversar sobre literatura e acabei, meio a contragosto, emprestando um livro para ela (sim, sou essa pessoa chata que não gosta de emprestar livros! Ninguém devolve. Sei disso porque estou cheia de livro dos outros em casa). Bom, depois que emprestei, fiquei toda curiosa para saber o que ela tinha achado. Ela não costuma ler muito, mas eu tinha a certeza de que , desse livro, ela ia gostar. Depois de meses enrolando, ela finalmente começou a ler. Daí, um dia ela entra no MSN e fala: "Terminei o livro". Pergunto: "E aí, e aí?" E ela responde: "Ah, não gostei do final." Sério. "Não gostei do final": isso é tudo o que ela tinha a dizer? Suspirei e perguntei o que ela achou, então, das outras 290 páginas, já que não tinha curtido as últimas dez. "Ah, sei lá, achei que a história ia acabar indo para outro lado", ela respondeu. De novo, a danadinha focada no final. Desisti e não comentei mais sobre o livro (a não ser pra cobrar a devolução). E fiquei pensando: quantas vezes a gente dá muito mais valor ao final das coisas do que à história toda? Nem é só com livros ou filmes. Tem gente que tem um namoro perfeito, que durou três anos felizes, sem nenhuma discussão. Ok, isso não existe. Mas, enfim, o namoro foi lindo a maior parte do tempo e teve um final péssimo - digamos, o cara se apaixonou por uma menina e ambos fugiram para o Caribe. Por que parte tem que apagar os três anos inteiros, como se eles não tivessem valido a pena? Tenho uma amiga que ama com todo o amor dela detonar o ex porque ele a largou de repente (embora não tenha fugido para o Caribe com ninguém). Hoje, ela já está toda serelepe com outra pessoa, mas, se você pergunta sobre aquele namoro, ela já vai respondendo que foi uma história sofrida, que quase morreu e tal. Ou seja, os momentos em que os dois tomavam sorvete, os passeios, a harmonia, tudo sumiu, e ficou só um cara sem coração e um fim sofrido. Pior, ficou aquela sensação de "não deu certo". Aliás, se tem uma coisa que eu sempre detestei nos meus fins de namoro é quando alguém me perguntava: "Ah, mas por que não deu certo?" Só porque acabou, não deu certo? Para mim, passar um tempão feliz com alguém, é sim dar certo com essa pessoa, vai. Uma vez, um amigo meu, superneurótico com dieta, ficou tão encanado com o tanto que tinha comido numa festa que foi embora com a cara fechada, depois de uma noite bem divertida. Também tenho uma amiga que, no último dia de uma viagem de um mês, quebrou um dedo e ficou tão mal-humorada que nem gosta de se lembrar da viagem. Sério, foram tantos dias ótimos, mas ela só se foca no último. Já me peguei fazendo isto também: encanando com a parte chata de uma conversa que, pela noite inteira, foi tão agradável; recordando justamente a hora da festa que não foi legal. Por quê? Por quê? Pode ser hábito, pessimismo, memória ruim. Sei lá. Só sei que eu, até o fechamento desta edição, não faço a menor ideia se existe vida depois da morte. Sem querer ser mórbida nem nada, se não existir, a gente vai ter que se contentar com um final bem sem graça para nossa trajetória: puf, sumimos da Terra. E aí, a vida valeu menos a pena por causa disso? Não acho. Prefiro me focar mais nas 290 páginas que eu aproveitei."

Crônica por: Liliane Prata. Publicada na Revista Capricho - Edição 1107 

Texto lido no blog Apenas Ana. 

Filmes nacionais que eu recomendo

07/01/2015 4 comentários


(Imagem pega no google , é só pesquisar cinema que é uma das primeiras imagens a aparecer)

Em anos anteriores eu criticava muito os filmes nacionais. Se era filme brasileiro eu nem queria ver! Imaginava que seria cheio de tiro, porrada e bomba! E palavrões é claro, muitoooos palavrões! Mas de uns tempos pra cá minha concepção sobre os filmes nacionais mudou bastante. Eles estão ficando ótimos!! E nem todos são violentos e cheio de palavrões (e sexo) . Vamos conferir os filmes nacionais que eu recomendo? (Nossa, devo ter usado a palavra nacionais mil vezes né?)

O Auto da Compadecida


Esse vocês provavelmente já conhecem... A peça teatral que contém 3 atos foi escrita por Ariano Suassuna em 1955. O filme foi lançado em 2000

Sinopse:
No vilarejo de Taperoá, sertão da Paraíba, João Grilo (Matheus Nachtergaele) e Chicó (Selton Mello), dois nordestinos sem eira nem beira, andam pelas ruas anunciando A Paixão de Cristo, “o filme mais arretado do mundo”. A sessão é um sucesso, eles conseguem alguns trocados, mas a luta pela sobrevivência continua. João Grilo e Chicó preparam inúmeros planos para conseguir um pouco de dinheiro. Novos desafios vão surgindo, provocando mais confusões armadas pela esperteza de João Grilo, sempre em parceria com Chicó, mas a chegada da bela Rosinha (Virgínia Cavendish), filha de Antonio Moraes (Paulo Goulart), desperta a paixão de Chicó, e ciúmes do cabo Setenta (Aramis Trindade). Os planos da dupla, que envolvem o casamento entre Chicó e Rosinha e a posse de uma porca de barro recheada de dinheiro, são interrompidos pela chegada do cangaceiro Severino (Marco Nanini) e a morte de João Grilo. Todos os mortos reencontram-se no Juízo Final, onde serão julgados no Tribunal das Almas por um Jesus negro (Maurício Gonçalves) e pelo diabo (Luís Melo). O destino de cada um deles será decidido pela aparição de Nossa Senhora, a Compadecida (Fernanda Montenegro) e traz um final surpreendente, principalmente para João Grilo.

FICHA TÉCNICA
Direção: Guel Arraes
Roteiro: Guel Arraes, Adriana Falcão e João Falcão
Produtor: Daniel Filho e Guel Arraes
Ano: 2000
Gênero: Comédia
Duração: 105’


Sinopse retirada do site Filmes Brasileiros.

Esse é um dos meus filmes favoritos! Passa uma mensagem legal e é bem engraçado.

O Homem do Futuro

Ouvir a música Tempo Perdido(Legião Urbana) me lembra esse filme...

SINOPSE
Zero (Wagner Moura) é um cientista brilhante e solitário que acredita ser infeliz porque 20 anos atrás foi humilhado pelo grande amor da sua vida. Ao tentar criar uma forma revolucionária de energia, volta acidentalmente ao passado e se vê diante da chance de encontrar a si mesmo (20 anos mais jovem) e “corrigir“ os erros de sua própria vida. Tentar manipular os caminhos do tempo é mais difícil e confuso do que possa parecer.
FICHA TÉCNICA
Direção: Cláudio Torres
Roteiro: Cláudio Torres
Produtor: Cláudio Torres e Tatiana Quintella
Ano: 2011
Gênero: Drama
Duração: 100’


Informações retiradas do site Filmes Brasileiros. Deixa eu me adiantar logo: TODAS AS SINOPSES E FICHAS TÉCNICAS FORAM TIRADAS DO SITE FILMES BRASILEIROS..

Minha mãe é uma peça


SINOPSE
Dona Hermínia é uma mulher de meia idade, divorciada do marido, que a trocou por uma mais jovem. Hiperativa, ela não larga o pé de seus filhos Marcelina e Juliano, sem se dar conta que eles já estão bem grandinhos. Um dia, após descobrir que eles consideram ela uma chata, resolve sair de casa sem avisar para ninguém, deixando todos, de alguma forma, preocupados com o que teria acontecido. Mal sabem eles que a mãe foi visitar a querida tia Zélia para desabafar com ela suas tristezas do presente e recordar os bons tempos do passado.
FICHA TÉCNICA
Direção: André Pellenz
Roteiro: Paulo Gustavo e Fil Braz
Produtor: Iafa Britz
Ano: 2013
Gênero: Comédia
Duração: 85’

O Palhaço


SINOPSE
Benjamim (Selton Mello) e Valdemar (Paulo José) formam a fabulosa dupla de palhaços Pangaré e Puro Sangue. Benjamim é um palhaço sem identidade, CPF e comprovante de residência. Ele vive pelas estradas na companhia da divertida trupe do Circo Esperança. Mas Benjamim acha que perdeu a graça e parte em uma aventura atrás de um sonho. Venha rir e se emocionar com este grande espetáculo.
FICHA TÉCNICA
Direção: Selton Mello
Roteiro: Marcelo Vindicatto e Selton Mello
Produtor: Vania Catani
Ano: 2011
Gênero: Comédia, Drama
Duração: 90’


Somos tão Jovens

O filme que fez com que eu me apaixonasse pela música Ainda é Cedo

SINOPSE
O filme SOMOS TÃO JOVENS narra uma história emocionante e desafiadora da transformação de Renato Manfredini Jr. no mito Renato Russo.
O jovem Renato Russo não tem tempo a perder: sonha ser um astro do rock. Mas ainda é cedo. Ele precisa estudar, dar aulas de inglês, tranquilizar os pais, curtir a turma, curar dores de amor e, principalmente, arrumar quem toque na sua banda. Do Aborto Elétrico à Legião Urbana, “Somos Tão Jovens” apresenta os primeiros acordes do mito Renato Russo e da turma do Rock Brasília, criadores de sucessos como “Que País é Este”, “Geração Coca-Cola”, “Eduardo e Mônica” e muitas outras músicas que marcam e transformam fãs geração após geração.
FICHA TÉCNICA
Direção: Antonio Carlos da Fontoura
Roteiro: Marcos Bernstein
Produtor: Letícia Fontoura
Ano: 2013
Gênero: Biográfico
Duração: 104’


Bom, é isso! Se vocês ainda não assistiram nenhum desses filmes eu recomendo que assistam. Tem também Mato Sem Cachorro, Hoje Eu Não Quero Voltar Sozinho (esse tem romance gay tá gente, só avisando) e váaarios outros!

Beijos e até o próximo post~

Mudei.

06/01/2015 2 comentários
"Mudaram as estações, nada mudou... Mas eu sei que alguma coisa aconteceu, tá tudo assim, tão diferente" 

 Não mudei apenas de cidade. Eu mudei. Posso sentir isso bem lá no fundo. Como isso pode ser notado do lado de fora? Acho que pelo meu sorriso. Ou talvez, nem dê para perceber. Será que pelo lado de fora dá para saber como sou por dentro? Será que a maneira como as pessoas me julgam pela aparência está certa?? Perguntas que acho que não vão ser respondidas tão cedo.

Sei que mudei porque as músicas que eu escuto mudaram, meu jeito de me vestir mudou, meu jeito de sorrir. Talvez eu só tenha mudado porque as pessoas ao meu redor mudaram, e isso não foi negativo. Por isso as pessoas falam que mudanças sempre são boas, sempre bem-vindas. Mudar é ótimo. Como é bom poder se sentir mais leve e sorrir, não é mesmo? É sempre bom passar por fases para nos conhecer melhor não é mesmo? Temos sempre uma crise de identidade na vida. Não acho que eu já tenha passado pela minha, mas sei que mudei.

Músicas, amigos, roupas, sorriso. No fundo, acho que na verdade, sempre fui assim, apenas me deixei levar pelas pessoas que me rodeavam.Do que estou falando afinal?! Ah é, eu mudei. Como é bom mudar. Adoro esse novo jeito de ver o mundo. Realmente, quem muda é a gente, não o mundo ao nosso redor.

Mude um pouco. Troca o disco. É sempre bom.


Escrevi esse texto porque não conseguia tirar da minha cabeça esse pensamento : EU MUDEI! E quer saber?! Tô bem melhor assim. O que as pessoas pensam? Não sei, só sei que esse sorriso no meu rosto é a melhor sensação ever!


-------------------------------------------------------------------//-----------------------------------------------------

Escrevi esse post ano passado, em agosto, mas fiquei com vergonha de postar Acho que eu queria manter isso comigo sabe?! Essa sensação de alegria que veio com a mudança. Mas, decidi compartilhar isso hoje. 

Beijos e até o próximo post~
 
Desenvolvido por Michelly Melo.