[Resenha] Sociedade dos meninos gênios - Lev AC Rosen

27/03/2016

Sinopse:  Chantagem, mistério, confusões de gênero, coelhos falantes e um assassino autômato: mergulhe na trajetória de Violet Adams, que assume a identidade de seu irmão gêmeo para conseguir uma vaga na mais prestigiada universidade de Londres, que é exclusiva para meninos. Inspirado em clássicos como Noite de reis, de Shakespeare, e A importância de ser honesto, de Oscar Wilde, SOCIEDADE DOS MENINOS GÊNIOS traça um retrato pitoresco e provocativo da aristocracia vitoriana, oferecendo diversão, aventura e uma reflexão bem-humorada sobre a questão do gênero.

Páginas 542 (544 se considerar os agradecimentos finais)

Ano: 2014

Editora Novo Conceito

Autor: Lev AC Rosen

Título original : All Men of Genius


O livro se encaixa no gênero steampunk, que é um subgênero da ficção científica. De acordo com a Wikipedia,  "Trata-se de obras ambientadas no passado, no qual os paradigmas tecnológicos modernos ocorreram mais cedo do que na História real (ou em um universo com características similares), mas foram obtidos por meio da ciência já disponível naquela época - como, por exemplo, computadores de madeira e aviões movidos a vapor.”

Sabe o filme Ela é um Cara? A história do livro é basicamente a mesma, afinal de contas, ambas foram inspiradas no mesmo livro.

A personagem principal é a Violet Adams, filha de um renomado cientista. Possui um irmão gêmeo, Ashton, e possuem mais diferenças além do sexo. Ela é apaixonada peça ciência, passa a maior parte do seu tempo trancada no porão criando coisas, irritando bastante a governanta, Sra. Wilks, de sua casa por estar sempre sujando os vestidos de graxa, enquanto seu irmão adora poesias, artes, festas, charutos... Sua mãe morreu  no parto, então eles foram criados pelo pai, astrônomo um tanto ausente, e pela Sra Willks.

O sonho de Violet é poder estudar em Illyria, a melhor faculdade científica da época, mas tinha um pequeno problema:  o local não aceita a entrada de mulheres, pois o fundador acreditava que elas seriam uma distração para os estudos dos meninos. Mas isso não faz com que Violet desista.
Quando seu pai anuncia que ficará um ano fora, viajando na América, ela e seu irmão vão para sua casa na cidade em Londres, e então o plano entra em ação.

 Violet se candidata à uma vaga com o nome de seu irmão, que a ajudou a arquitetar todo o plano, afinal de contas ele é gay e precisa esconder isso pois a sociedade não aceitava, e por entender bem como é ruim não poder se mostrar por inteiro para a sociedade ele decide ajudar sua irmã.

“Com os ombros caídos, Violet pousou o lápis e começou a enrolar os esboços da dançarina mecânica. Franziu o cenho, pensando nela - o que mais as mulheres deveriam fazer, além de dançar e ter filhos? Ela e sua futura bailarina mecânica eram iguais. Não se esperava grande coisa delas, mas ali estava Violet, esforçando-se para esconder seu sexo e tentando provar que merecia uma oportunidade igual no mundo científico."
“Pouca coisa a satisfazia mais do que a sensação de metal na mão. Gostava de conceber novas invenções, sim, mas o que mais lhe dava prazer realmente era montá-las e sentir cada engrenagem e mola encaixar-se no lugar, sentir seus projetos ganharem vida e funcionar nas suas mãos. Tinha uma daquelas mentes raras que eram capazes de diferenciar, entre uma dúzia de molas aparentemente idênticas, a que era mais forte, a que tinha a maior flexibilidade, da que poderia de quebrar.”

Jack, o melhor amigo deles, está por dentro de todo o plano. Ele mesmo sendo um amante da ciência, se candidata também para uma vaga na faculdade. Uma alegria quando ele e Violet (se passando por Adam) são aceitos, pois assim pelo menos terão um ao outro nessa loucura.



O plano corre risco quando Cecily, a protegida do duque de Illyria, se apaixona por Violet, imaginando que ela seja realmente Ashton, e também quando Violet começa a sentir atração pelo duque.

Robores assassinos, bebedeira com os amigos, aulas e mais aulas, um porão misterioso... Manter esse segredo até a feira no final do ano será que Violet consegue?

Esse livro acaba de se tornar um dos meus favoritos. Ele trata de igualdade, das mulheres na ciência e também do homossexualismo de uma maneira leve...

Narrado em terceira pessoa, veremos também capítulos focados em outros personagens, e em coisas muito além de Violet. É uma história envolvente, apaixonante! Apesar de ser um pouco extensa e ter algumas partes que eu achei que ficaram meio sem conclusão, meio vagando na história... Fora isso, tudo perfeito.

Recomendo muito a leitura! E essa foi a recomendação de hoje J

Nenhum comentário

Postar um comentário

Seja bem vindo (a) ao meu cantinho :)

•Comente o que você achou do post e dê sugestões para os próximos posts :)

Obrigada pela visita e volte sempre!

 
Desenvolvido por Michelly Melo.